terça-feira, 18 de abril de 2006

Laureta sobe a bancada (2ª Parte)

Laureta é burra,
Enxovalhada,
Perninha fina,
Mal apontada.
Falha o golo
De mão beijada;
Saltam-lhe os peitos
Na cavalgada.

Anda, Laureta. Laureta, sobe,
Sobe que sobe, sobe a bancada.

Passa por magalas,
Rapaziada,
Palpam-lhe as coxas
Dá uma risada.

Anda, Laureta. Laureta, sobe,
Sobe que sobe, sobe a bancada.
Já no balneário
Sem dizer nada
Agarra no Petit,
Dá-lhe a mamada;
Bebeu tudo
Numa golada;
Aparou a relva,
Varreu a bancada;
Limpou a retrete
Desarranjada;
Coseu a roupa
Já tresandada;
Despiu-se à pressa,
Desinteressada;
Caiu no chão
Não foi nada;
Chegou o Chalana,
Viu-a deitada;
Serviu-se dela,
E não é convocada.

Anda, Laureta. Laureta, sobe,
Sobe que sobe, sobe a bancada.

3 a fritar:

Blogger Exorcista fritou...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA..........
Está mais próximo do original... Tanto do poema quanto da realidade!!!!
Temos poeta...

terça-feira, abril 18, 2006 11:43:00 da tarde  
Anonymous bruno fritou...

hihihihihi

quarta-feira, abril 19, 2006 3:34:00 da manhã  
Anonymous nesocas fritou...

BRAVO COMANDANTE!

quarta-feira, abril 19, 2006 11:55:00 da manhã  
3 comments

Enviar um comentário

<< Home